A evolução do TEDx Vila Madá

Posted on 07/06/2010

0


.
Por “coisas de São Paulo”(só paulistano para entender esta coisa maluca, enchentes, enroscos de última hora, etc) eu compareci ao primeiro evento do TEDx Vila Madá e no último.

E a evolução foi impressionante.

Não que o primeiro não tenha sido muito bom, mas você espera que eventos assim evoluam, melhorem, se superem e foi o que vi acontecer.

Tudo, organização, escolha de palestrantes/oradores, a grade das palestras, etc,etc.

O último tema, ‘Mata Atlântica’, é um tema importantíssimo e essencial no mínimo para quem vive na região que ela abarca, mas como sustentabilidade, conservação do meio ambiente, um modo de vida consciente nas cidades e no campo e cia estão em moda, tanto em ONGS como no meio corporativo (em ações que vão desde “a criação de mais um departamento da empresa”, passando por ações de marketing e planejamento estratégico e chegando -poucos- a mudança real de postura e conscientização dos envolvidos) e estamos vendo de tudo (mas de tudo mesmo), eu esperava palestras boas, mas com o mesmo ângulo de abordagem de sempre, de conservacionismo consciente.

Ledo engano.

O vídeo que foi passado do TED, com Willie Smits já foi um assombro. Então de fato dá para recuperar auto estima de população carente, convergir crescimento econômico, educação ambiental, recuperação de culturas ancestrais e recuperação de fauna e flora ?

A segunda palestra, da diretora da área de gestão ambiental Márcia Hirota, foi da competência que sempre se espera do pessoal da Fundação SOS Mata Atlântica.

A terceira, com a jornalista “ambiental” Liana John foi uma surpresa, ela colocou a Mata Atlântica como um bem comum que deveria ser cuidada
por todos nós que moramos nela, com ou sem árvores e colocou que entrar
na Mata Atlântica é uma experiência sensorial, com cheiros, cores,
paladares e impressões diversas.
E é! (dito por quem é do interior de São Paulo e já entrou muito na infância no meio do mato).

A quarta, com Paulo Valladares, secretário executivo da Associação Corredor Ecológico do Vale do Paraíba, foi algo para mostrar que estão sendo feitas no Brasil ações semelhantes ao do Willie Smits. Muito interessante.

A quinta também foi surpreendente. Foi como uma entrevista com a cantora Wanessa Camargo, já que ela não é palestrante ou oradora, sobre as ações dela junto a SOS Mata Atlântica. O que me surpreendeu foi a posição dela como uma cidadã comum que aos poucos foi percebendo o mundo em volta dela, percebeu que estava tudo errado e foi atrás de orientação e que agora usa sua popularidade para conscientizar outros a sua volta e fazer sua parte para salvar o planeta.

E a última…

A última, com o índio de origem tapuia Kaká Werá, que foi criado na periferia da Zona Sul de São Paulo, tendo acesso a uma tribo de outra etnia em Parelheiros, foi uma experiência … interessante? Inesquecível?.. após assistir as outras palestras.

O que ele nos trouxe foi que a palavra-chave que junta todas as palestras anteriores é integração, integração do ser humano com a natureza, fauna/flora/ecossistemas, tudo. Integração que nunca deveríamos ter perdido.

Este pessoal do TEDx Vilá Madá realmente se superou…
.
.

Anúncios
Posted in: comentários