São Paulo e chuva: uma parceria infeliz

Posted on 04/02/2010

0


 

São Paulo e chuva: uma parceria infeliz… aliás, MUITA chuva…

coisas óbvias: chão impermeabilizado não absorve água, só terra faz isso. Ele faz água da chuva correr até onde acha terra ou um rio, mesmo que este rio esteja “entubado”.

coisas óbvias 2: lixo nenhum é para ser jogado nas ruas, nem um mísero papel de bala, em hipótese alguma.

coisas óbvias 3: não há nada que dê jeito no transporte com esta quantidade de pessoas que saem ao mesmo tempo para trabalhar.

coisas óbvias 4: cadê incentivo a microempresas para ter pessoas trabalhando perto de suas casas ?

coisas óbvias 5: cadê o desconto em IPTU para quem formar jardins e hortas em casa?

coisas óbvias 6: não há discussão possível, não se mora em áreas de escape de rios, as famosas ‘zonas de várzeas’. Não se segura rio quando enche, ele “aparece” inclusive pelos bueiros e pelos ralos.

coisas óbvias 7: se a possibilidade de chover demais não é considerada, o que afinal os administradores e planejadores municipais e estaduais estão fazendo?

Porém, coisas não tão óbvias:

coisas não tão óbvias 1: se o asfalto das ruas está se desfazendo, não seria hora de substituí-lo por outra pavimentação, que permita que a água passe para o solo e mais duradoura ?

coisas não tão óbvias 2: é obvio que se tem um mapeamento de zonas mais “encrencadas” com a chuva, mas aquelas que enchem de água rápido e esvaziam com a mesma rapidez. E não daria para desenvolver ações voltadas a isso?

coisas não tão óbvias 3: você não briga com a natureza, você se adapta a ela. Essa é uma briga insana e sem sentido. Como diz uma amiga, “você consegue mais coisas com mel do que com vinagre” e isso também é válido ao se tratar com a natureza. “Esperto” (sábio, aliás…) quem entende isso…

E tem muito mais, é só pensar/ ver/enxergar/assumir/se preocupar…

 

Anúncios
Posted in: comentários